segunda-feira, 12 de julho de 2010

Música Barroca - Telemann

George Philipp Telemann (Magdeburgo, 14 de março de 1681 – Hamburgo,  25 de junho de 1767) compositor e músico alemão.
Foi um dos compositores mais prolixos de todos os tempos. Dentre suas obras, se encontram 1.700 Cantatas Eclesiásticas, 27 Paixões, 6 Oratórios, 17 Missas, 9 Óperas, canções e música instrumental. Telemann era, de longe, o compositor mais célebre de seu tempo. Onde quer que fosse, conferia à vida musical um impulso decisivo, fundava conjuntos de concertistas e ocupava-se, assiduamente, da impressão e da difusão de suas obras.
Com doze anos, escreveu sua primeira ópera. Tocava flauta doce, violino e cravo, tendo adquirido, por esforço próprio, quase todos os seus conhecimentos musicais, nunca tendo recebido uma educação musical básica. Como estudante em Leipzig, fundou seu "Collegium Musicum". Foi mestre da capela da corte em Sorau e em Eisenach, diretor musical em Frankfurt e depois em Hamburg.
Em Sorau, escreveu inúmeras aberturas no estilo francês e conheceu na Silésia a música folclórica polonesa que, frequentemente, utilizou em suas obras.
No norte da Alemanha, foi Telemann quem realizou a fusão dos estilos Italiano e Francês.
Escrevia ao estilo italiano, ao estilo francês (novo estilo) e ao estilo germânico (velho estilo) mais austero, do qual saíram compositores como Bach, Mozart, Beethoven.
O resultado do "conflito cultural" (entre os estilos italiano e francês) representou um enriquecimento, dele surgindo o que se chamou de "os gostos reunidos" e que haveria de se tornar a característica da música alemã do século XVIII. Os grandes compositores alemães escreviam suítes francesas, sonatas italianas e concertos.
Os três grandes compositores da mesma geração - Bach, Haendel e Telemann -  foram os primeiros a encontrar o "idioma" da nova linguagem musical que levou do barroco ao classicismo.

1 Comentário:

The Muse disse...

Eu gostei deste trabalho. Eu também adoro música clássica. As notas que me ajudar a relaxar ou eles me inspiram. É muito fácil escrever quando eu posso ouvir os mestres.

Postar um comentário