sábado, 24 de maio de 2014

Richard Wagner–O Drama Musical

Grande compositor da ópera alemã e uma das figuras mais importantes da música do século XIX, Richard Wagner (22/05/1813 - 13/02/1883) representou a consumação da ópera romântica alemã, e o neorromantismo alemão. Foi o criador de uma nova forma: o "drama musical". Seus escritos tiveram uma importante e considerável influência no pensamento oitocentista, não só na música, como na literatura, no teatro e, até, em questões políticas e éticas.
A função da música, para Wagner, significava servir aos objetivos da expressão dramática. Dentro desta linha, suas composições mais importantes foram as que ele escreveu para o teatro.
Seu primeiro sucesso foi uma grande ópera em cinco atos, estreada em Dresden em 1842: "Rienze". Em seguida, em 1843, também em Dresden, uma ópera romântica ao estilo de Weber, "O Holandês Voador/O Navio Fantasma". O completo sucesso destas duas óperas culminam com sua nomeação para o cargo de diretor da Ópera de Dresden, pondo fim a uma fase errante e de dificuldades materiais.
Ainda em Dresden, em 1845, Wagner apresenta "Tannhäuser”, que é uma adaptação da essência do libreto romântico alemão ao esquema da grande ópera. No ano de 1850, tem-se a estreia de "Lohengrin" sob a direção de Liszt, em Weimar. Esta é a última das grandes óperas alemãs e, ao mesmo tempo, dá certo corpo às diversas transformações que anunciam os dramas musicais da fase seguinte de Wagner.
Devido às convulsões políticas entre 1848 e 1849 na Alemanha, Wagner se muda para a Suíça, onde fixa residência pelos dez anos seguintes. Reformulando suas teorias acerca da ópera, em 1851 publica uma série de ensaios, dos quais o mais importante é "Ópera e Drama". Durante este mesmo período, escreveu também os poemas de um ciclo de quatro óperas dramáticas, cujo título do conjunto seria "O Anel do Nibelungo" (Der Ring des Nibelungen). A música das duas primeiras - "O Ouro do Reno" (Das Rheingold) e "A Valquíria" (Die Walküre) - e uma parte da terceira, "Siegfried", já estavam compostas em 1857. O ciclo se completou em 1874, com "O Crepúsculo dos Deuses" (Die Gotterdämmerung) e a apresentação integral do ciclo ao público ocorreu dois anos depois em Bayreuth, num teatro construído especialmente para o feito.
"Tristão e Isolda", entretanto, Wagner escrevera entre 1857 - 1859 e "Os Mestres Cantores de Nuremberg" (Die Maistersinger von Nünberg) entre 1862-1867. Sua última obra foi "Parsifal" (1882).
A obra de Wagner conseguiu afetar todo o panorama da ópera. Poucos compositores conseguiram igualar a forma como Wagner utilizou a mitologia e o simbolismo, e seu ideal de ópera como um drama, com texto, cenário, ação e música.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário