domingo, 15 de setembro de 2013

A Música Escandinava e Edvard Grieg

Talvez, a música popular escandinava figure entre as mais velhas da Europa, mas, apesar disso, pouca música ultrapassou as fronteiras da Escandinávia até o século XIX. Contemporâneo de Händel, com quem se parece bastante no estilo, Johan Helmich Roman viveu na Suécia, entre 1694 e 1758 e foi um compositor barroco, considerado "pai da música sueca". Na Dinamarca, a vida musical tinha uma forte ligação com a música alemã: O grande Diderik (Dietrich – em alemão) Buxtehude, que Bach conheceu, era dinamarquês de origem, ao passo que o Hino Nacional da Dinamarca, foi escrito por um alemão, Friedrich Kuhlau, que viveu em Copenhague e ali, no tempo de Beethoven, escreveu inúmeras óperas.
No Romantismo, a Escandinávia produziu interessantes personalidades musicais: o sueco Franz Adolf Berwald (1796-1868), escreveu nove sinfonias ao estilo de Beethoven; na Dinamarca, Johann Peter Emil Hartmann (1805-1900) escreveu peças para teatro, cantatas e música sinfônica no estilo romântico; Niels W. Gade (1817-1890), genro de Hartmann, tornou-se célebre na Europa. Seu nome aparece nos anais do Gewandhaus de Leipzig, onde exerceu por longos anos, a atividade de regente, ao lado de Mendelssohnn; e Lange-Müller (1850-1926) que se tornou bastante popular com uma comédia de lenda (Era uma vez ) e muitas canções.
Concentrando-se numa única figura do século XIX, a fama musical da Escandinávia vem cair sobre Edvard Grieg (1843-1907), representante máximo do nacionalismo romântico, nascido em Bergen, cidade da Noruega. Em sua música há o romantismo daquelas regiões solitárias, dos fiordes, dos cumes de neve e todas as lendas de deuses e heróis.
Sua principal obra é a música para o drama de Henrik Ibsen, a Suíte Nº 1 Op.46 e a Suíte Nº 2 Op.55, "Peer Gynt". Alguns trechos de melodia como "A Morte de Ase", "Dança de Anitra" e "Canção de Solvejg" são conhecidas em todo o mundo. Famoso, também, é seu Concerto para Piano em Lá menor Op.16 em três movimentos: Allegro molto moderato (Lá menor); Adagio (Ré bemol maior); Allegro moderato molto e marcato - Quasi presto - Andante maestoso (Lá menor → Fá maior → Lá menor → Lá maior). Bastante, conhecidas são, também, suas sonatas para violino e piano escritas entre 1865 e 1887: Violin Sonata Nº 1 em Fá maior, Op. 8; Violin Sonata Nº 2 em Sol maior, Op. 13; Violin Sonata Nº 3 em Dó menor, Op. 45 .
Entre outras obras estão: "Quatro Danças Sinfônicas" Op. 64, mais tarde arranjadas para orquestra; "Sonata para Violoncelo" Op.36 em Lá menor; "Quarteto para Cordas" em sol menor Op.27; "Suíte Lírica" Op.54 para orquestra e "Duas Elegíacas Melodias" Op.34 para cordas.
Grieg fundou, em 1871, uma sociedade de música de grande importância em Cristiânia (Oslo). O governo da Noruega concedeu-lhe uma pensão vitalícia que lhe permitiu passar seus últimos anos, inteiramente dedicado às suas composições, em sua cidade natal de Bergen, onde veio a falecer em setembro de 1907.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário